Búsqueda avanzada
DESAFIOS E CAMINHOS PARA A EQUIDADE DE GÊNERO NO MERCADO DE TRABALHO
Mateus Bender - Universidade Federal de Pelotas - Brasil.
X Jornadas de Sociología. Facultad de Ciencias Sociales, Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, 2013.
Dirección estable:
Resumen
É notória a crescente inserção da mulher no mercado de trabalho. Nos dias atuais, as mulheres representam quase metade da população economicamente ativa em nossa sociedade, participando ativamente do mercado de trabalho formal. Apesar dessa representatividade feminina no mercado de trabalho, as relações de gênero que consistem as organizações de trabalho, são relações de poder e desigualdade, que ocasionam muitas formas de violência, iniciando, geralmente, no próprio convívio familiar. Excluindo-se casos excepcionais, não há repartição igualitária de tarefas domésticas (incluem-se cuidados com os filhos); apesar de possuir maior escolaridade e exercerem as mesmas funções, o salário é inferior aos homens; muitas vezes estão sujeitas ao subemprego ou trabalho informal, sem aparo de legislação trabalhista; Não há legislação para impedir esta violência? No Brasil há legislação que assegura a igualdade de gênero nas relações trabalhistas, tendo inclusive, na Consolidação das Leis Trabalhistas (Código Trabalhista), capítulo independente, de “Proteção Especial para as Mulheres no Mercado de Trabalho”. Porém, porque a sociedade e o mundo do trabalho continuam com esta discriminação de gênero? Indiscutivelmente, nossa sociedade é machista. O grande desafio para alterar este panorama é a mudança cultural de nossa sociedade. Os valores que são compartilhados por homens e mulheres nas relações sociais, valorizam mais o homem que o sexo oposto, sendo perceptível no trabalho doméstico, que ainda é visto pela nossa sociedade como uma tarefa restrita à mulher. Portanto, como poderá ser amenizado, ou qual a solução para evitar a discriminação de gênero no mundo do trabalho ? O principal responsável pela mudança é o Poder Público. Através de políticas públicas, é possível o Estado amenizar essa diferença social de gênero no mundo do trabalho. Com certeza não é o suficiente, mas oferecer creches, restaurantes e lavanderias públicas, pode ser o primeiro passo para evitar o trabalho doméstico árduo das mulheres.
Texto completo